domingo, 4 de dezembro de 2016

Sobre o que acontece dentro de mim.

Começa como um leve incômodo. Um não saber o que é. Aquele friozinho que dá quando a angústia chega. Em seguida, tudo vai se tornando mais complicado. As pernas inquietas. As mãos a tremer. A arritmia. Tento desviar os pensamentos para amenizar a agonia que vai tomando conta de mim cada vez mais rapidamente. Falho. O leve temor de início se torna pânico e a angústia, tristeza. Paro de lutar contra o que sinto e dou a mão ao sofrimento. Deixo ele preencher meus pensamentos porque sei que qualquer batalha seria em vão. Sinto raiva de não ser forte e de todas as adversidades que apareceram. Tenho pena de mim, mesmo sabendo que, fora o transtorno que traz esse turbilhão de emoções, sou uma pessoa que teve muita sorte na vida. Queria que isso fizesse diferença pra mim, mas meu raciocínio e sensatez ficam ofuscados pela maré de sentimentos negativos. Espero que a tristeza desta vez passe mais depressa. Às vezes fica meio desesperador esperar. Fantasio dezenas de mortes. Pesquiso diversas maneiras. Ensaio, mas ao fim não tenho coragem. Não sei se por ainda restar um fio de esperança que as coisas vão melhorar ou se por medo de que depois daqui possa vir algo pior.

Nenhum comentário: